Auto-publicação - Sim ou Não?

"Sou escritor." Hoje em dia qualquer pessoa pode dizer isto. Se são bons ou não, isso já não é comigo. Antes de querer ser ...



"Sou escritor."
Hoje em dia qualquer pessoa pode dizer isto. Se são bons ou não, isso já não é comigo.

Antes de querer ser escritora tinha uma visão muito romântica do mundo editorial. Enviava o manuscrito para umas quantas editoras, umas recusavam, eu perdia a esperança mas, de repente, uma das editoras aceitava o meu manuscrito e tornava-me finalmente numa escritora publicada!

Não.
Não é nada disto.
E bastou-me uma horinha na Internet e na blogosfera para perceber que este mundo tem muito que se lhe diga.

Enviei o meu manuscrito para cinco editoras. Todas tinham o email no site, todas diziam aceitar manuscritos e muitas delas até davam um prazo de resposta. Óptimo! Sou realista e sei que o meu livro não é uma obra de outro mundo, sei que para primeiro livro está aceitável e, assim sendo, esperava recusas e críticas. Sou muito receptível a críticas. Venham elas.

Zero. Nada. Nicles!
Nem um "não" ou um aviso de recepção. Nada! Perguntei-me se estariam mesmo a aceitar manuscritos. E ainda tenho dúvidas de que há realmente alguém a ler os que são enviados.
(Nem que seja a ler as sinopses!)
"Se calhar não é o momento certo para publicar livros, com a crise e tal." pensei eu na minha inocência. Depois vi um anúncio na televisão do livro do Cláudio Ramos. Quanto tempo teve o Cláudio Ramos de esperar para receber a resposta de uma editora?

Depois fui aos sites das editoras que me interessavam (do meu género literário!) e vi que livros de fantasia estavam a ser publicados dia sim dia não. Livros de autores estrangeiros, claro está! A fantasia voltou a estar na moda graças ao Harry Potter, Game of Thrones, Hunger Games e tantos outros. Boas notícias para escritores de fantasia, certo?
Certo...mas só se não fores português.


Eu digo sim à auto-publicação caso não haja alternativas. Em Portugal, sejamos sinceros, não há muitas editoras por onde escolher. E se formos escolher editoras de qualidade, esse número reduz-se consideravelmente! É triste que as cunhas e o estatuto social imperem nesses meios. Não tiro o crédito a escritores que ganharam concursos literários e que foram publicados. Merecem, sem dúvida! Mas concursos literários são esporádicos (principalmente para fantasia!) e normalmente só há um vencedor! E os outros?

Por isso...SIM! Sim à auto-publicação! É muito bonito a história do homem de 60 anos que teve o seu livro recusado X vezes para depois, perto do seu leito de morte, vê-lo publicado numa grande editora que finalmente o aceitou, e teve muito sucesso e tal. Muito bonito, sim. Mas não acontece.

Fazer acontecer por nós mesmos quando não há oportunidades é fantástico. Quantos bons escritores não desistiram do seu sonho porque uma editora não pôs um estagiário a responder aos emails?

A auto-publicação é a realização de um sonho para muitos autores. Mas também tem muito que se lhe diga....No próximo post vou explorar os prós e contras da auto-publicação em Portugal!

You Might Also Like

1 comments

Flickr Images